Jovem ensina música a autistas em Orquestra de Violoncelos na Amazônia

Os alunos são crianças e jovens com dificuldades de aprendizado e autistas. Solidariedade compartilhada por menino de 13 anos que em seu tempo livre ensina os colegas iniciantes.

Ele era só um caboclinho pobre, de 10 anos, quando conheceu o teatro, em Belém. Requinte e opulência dos tempos áureos da borracha.

“Olhei para cima e fiquei assim mesmo maravilhado com aquilo, nunca tinha entrado, já ouvia falar, mas não pensava que fosse uma coisa assim bonita, que a gente vê em filme”, conta o músico Robson Navegante.

Pensava menos ainda que voltaria muitas vezes a esse palco, como músico , em espetáculos fascinantes da Orquestra de Violoncelos da Amazônia, da Universidade Federal do Pará.

Mas até chegar lá, a caminhada foi longa. Na Belém de muitas cores e sabores, as distâncias são enormes. Robson mora na periferia. Muitos quilômetros de chão. Casa de madeira, vida simples. O menino ganhou um violão do avô. Não sabia tocar.

“Foi quando papai teve a idéia de me colocar, estava em casa, dormindo muito, ele disse que estava na hora de eu começar a fazer outras coisas”, relembra o músico.

Seu José, funcionário da universidade, procurou um curso de violão. Não tinha. Matriculou o filho num de violoncelo.

“O senhor achou que podia ser bom para ele?”, pergunta a repórter.

“Isso, pelo menos uma ocupação ele já estava participando”, diz o pai.

“Você sabia o que era um violoncelo?”, quer saber a repórter.

“Pelo nome eu não reconhecia muito, eu já tinha visto em orquestra tocando, sabe
aquela coisa que você pega quando está passando o canal na televisão?”, conta Robson.

O repertório da orquestra de violoncelos vai do clássico ao popular, de Bach a Led Zeppelin. A orquestra é um sucesso. Dona Ana Claudia transborda emoção.

“Fui para uma apresentação dele no teatro da paz até chorei de emoção, fiquei emocionada de ver meu filho ali tocando musica clássica, achei muito lindo”, diz a mãe de Robson

O menino que um dia ficou deslumbrado com este teatro cresceu e conquistou o lugar dele nos palcos. Robson não só aprendeu a tocar muito bem, como compreendeu o poder que a música tem para mudar a vida de crianças e jovens. Hoje ele usa tudo o que sabe para ajudar a transformar a realidade de uma turma muito especial.

“Caprichem na posição de vocês que é muito importante. Pausa, Pausa”, ensina o músico.

Robson é voluntário por gosto e experiência. Os alunos são crianças e jovens com dificuldades de aprendizado e autistas.

E, de cada instrumento, os sons vão compondo, primeiro, apenas uma escala. Depois, uma harmonia simples. E é impossível não se emocionar, quando a melodia soa completa

Carlos Augusto é aplicado. Esta há três anos na escola de música. Estava tocando uma das composições mais famosas da história da música da humanidade, a 9ª Sinfonia de Beethoven.

E dia a dia, nota por nota, todos tocam melhor. Por que na sala há alguém que acredita em cada aluno.

Aprender a ser solidário. Compartilhar o conhecimento, Sandro já aprendeu a lição. Tempo livre não é para vadiar. É para ensinar os colegas iniciantes, que têm dificuldades com o instrumento.

“São duas vezes aqui e uma para lá, daqui vem para cá”, mostra o rapaz.

Sandro só tem 13 anos. As garotas são mais velhas. Mas ele não se intimida.

“Se ele consegue ensinar é porque realmente aprendeu e ele se sente valorizado com isso”, diz Rosileide Marcondes, mãe de Sandro.

A mãe é professora de arte, o pai taxista de profissão, mas artista de coração. O filho está realizando o sonho que seu José não pode levar adiante.

“Estou dando apoio posso dar, os meus pais não podiam”, revela José.

O acaso uniu Sandro e o violoncelo. O garoto era gago. Recomendaram que tocasse flauta. Aprendeu a tocar, curou a gagueira e ganhou um amor.

Entre aulas, ensaios e apresentações, a rotina dos rapazes é puxada.

“Como você termina um espetáculo como esse?”, pergunta a repórter.

“Saio cansado, sem fôlego, mas continuo gostando do violoncelo, é muito bom tocar”, diz Sandro.

E lá vão nossos meninos mostrando ao mundo o bom som brasileiro.

Fonte: http://g1.globo.com/globo-reporter/noticia/2011/12/jovem-ensina-musica-autistas-em-orquestra-de-violoncelos-na-amazonia.html

Posted on Julho 11, 2013, in Dicas para os pais. Bookmark the permalink. Deixe um comentário.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: